Rotulando

Rotulando


Rotulamos a tudo e a todos, discordar disto é
hipocrisia pura. Aprendemos a pré-julgar desde a
mais tenra idade por questão de sobrevivência
e inserção ou, por prepotência e maldade.

Indivíduos rotulam maldosamente porque acreditam
no que querem acreditar, seja verdadeira ou
fantasiosa esta verdade. Rotulam para classificar
castas e classes por covardia, inveja e egoísmo.
Embasados apenas no preconceito nato contra
tudo que não se enquadre nos padrões sociais,
éticos e morais ditados por eles.
Rotulam maldosamente aos que não se dobram ou
ajoelham as preferências pessoais.
Rotulam por não serem ponderáveis, por serem
guiados pela vingança, maledicência e inclemência.

Rotular maldosamente é típico de quem fica muito
preocupado com a vida alheia e esquece de viver a
sua. Transformando o rotulado(a) no coadjuvante
de sua existência e sobrevivência. Criando
personagens para cada ambiente e situação,
transformando-se em prisioneiro da arrogância, onde
a soberba é fomentada por acusações genéricas.

Rotular maldosamente é fruto da incapacidade de
lidar com aquilo que é maior que ele mesmo. Algo
que gostaria de ser, mas não consegue sê-lo, seja
por limitações físicas, psíquicas ou estruturais.

Rotular maldosamente é atirar pedras de olhos
fechados nas qualidades e sensibilidade alheias.
Qualidades estas, causadoras do desconforto,
inveja e ciúmes do rotulador.

(Lélia-LMSPP)

Image and video hosting by TinyPic